sexta-feira, abril 24, 2009

ANF 9 - Ministério da Saúde 0

Em 11 de Março de 1934 a selecção portuguesa de futebol sofreu uma humilhante derrota por 0 - 9, em Madrid, frente à Espanha. Este jogo faz parte do meu imaginário infantil porque o meu pai contou e recontou, vezes sem fim, as suas peripécias, ouvidas na antiga Emissora Nacional, através de uma telefonia de válvulas do meu avô - equipamento pouco usual à época - alimentada por uma pequena torre eólica que abastecia a casa, no meio da Serra Algarvia, com uma corrente muita fraca e pouco estável.
A decisão tornada hoje pública de isentar o pagamento de genéricos para os pensionistas de baixo rendimento fez-me lembrar este episódio histórico, pois reflecte senão uma derrota humilhante do Ministério da Saúde, pelo menos mais uma vitória em toda a linha do Dr. Cordeiro e da sua ANF.
Não está aqui minimamente em causa o mérito da decisão em termos da facilitação do acesso a medicamentos a uma faixa carenciada e desprotegida da população (cerca de 1 milhão de pessoas). É uma medida social e justa e, por consequência, também muito oportuna em tempo de eleições...
O que está em causa é que o Estado poderia tomar a mesmíssima decisão com custos muito menores para o Erário Público. A este propósito remeto para este post e para este.
O que vai acontecer agora, mais do que nunca, é que as empresas farmacêuticas que comercializam genéricos vão concentrar toda a sua pressão promocional nas farmácias "incentivando" ajudantes de farmácia e farmacêuticos a aviarem o genérico da empresa que lhes oferecer os melhores brindes, bilhetes de futebol ou as viagens mais atractivas, bem como as melhores condições comerciais para a farmácia. E com o Estado sempre a pagar quer o reembolso a 100%, quer a respectiva margem de lucro oficial.
Se houvesse um concurso nacional para estes fármacos e se o Estado garantisse a sua distribuição nos centros de saúde e nos hospitais, como de resto já o faz com os medicamentos anti-concepcionais, toda a gente saíria a ganhar.
Menos a ANF e as farmácias.

P.s. Contudo, a derrota mais humilhante Selecção Nacional aconteceu em 25 de Maio de 1947 com a Inglaterra por 0-10.

1 comentário:

Mário de Sá Peliteiro disse...

Será do Guaraná?